Translate this Page
Votação!
O que você acha do site?
Excelente
Regular
Ruim
Ver Resultados

Rating: 4.5/5 (258 votos)


ONLINE
1


Partilhe esta Página



Os 7 Espíritos de Deus
Os 7 Espíritos de Deus

(Foto: Cristianity)

 

Observe que não há possibilidade de monotonia na vida cristã quando vivemos no entendimento de Isaías.

 

Isaías mostrou quem o Espírito de Deus é ao dizer: “Repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR.” (Isaías 11:2)

Com a experiência em consultório tem sido claro a importância de detectarmos os significados que temos sobres as questões concernentes a “viver”.

Para dimensionarmos o conhecimento do que valorizamos, do que não damos importância, e até mesmo do que deletamos, é imprescindível que estejamos atentos ao que pensamos e ao que falamos. É fácil percebermos o que o outro pensa ouvindo o que ele fala, mas o que você pensa é muito, muito mais importante.

Você precisa se perceber, pois é responsável pelo que faz e pelo que deixa de fazer. E a sua edificação pessoal é resultado do que você pensa e do que você fala. Jesus disse: “A boca fala do que o coração está cheio”. Os pensamentos, quando não são verbalizados, são diálogos internos que continuam a ecoar dentro de nós; sem som, mas com muitos ruídos.

Diante do exposto, hoje quero compartilhar contigo, ou melhor, te convido a vir comigo, para pensarmos juntos na questão pai X filhos, e filhos X irmãos. Vamos? Chegou, então vamos iniciar nossa prosa?

Quando chegamos à casa do Pai encontramos o ambiente da intimidade. Descortinamos a realidade de sermos filhos de um Deus cuja multiforme graça nos alcançou.

A identidade de filho abre-nos também a certeza de sermos herdeiros.  Romanos 8:16-17 diz: “O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. E, se nós somos filhos, somos, logo, herdeiros também, herdeiros de Deus e coerdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.”

Quando nós pensamos que somos filhos, logo pensamos que somos irmãos de um mesmo pai e de uma mesma mãe. No nosso caso, aqui, neste contexto, somos filhos de um mesmo Pai. Isso só ocorre quando fazemos a opção por Jesus. Ao aceitarmos a Jesus, recebemos o poder de sermos feitos filhos de Deus (Jo 1:12).

Jesus é o caminho novo e vivo que nos leva ao Pai. “Sendo assim, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos mediante o sangue de Jesus, por um novo e vivo Caminho que Ele nos descortinou por intermédio do véu, isto é, do seu próprio corpo; e tendo um magnífico sacerdote sobre a Casa de Deus.” (Hebreus 10:19-21). Temos ainda o texto de João 14:6.

Lembra que no início deste texto mencionamos os 7 Espíritos de Deus? Aqui começa a importância do Espírito de entendimento. Quando nós chegamos ao Pai, começamos a compreender também que na casa do Pai há muitas moradas, e que uma delas é nossa. Você conhece a sua? Isso significa que todos os dias temos um lugar para chegar e também um lugar de onde sair. Olha que incrível: O salmo 23 diz que entramos (somos ovelhas, de acordo?) e saímos, que temos liberdade nesse movimento de entrar e sair de encontrar pastagens, descanso, para nossas almas.

Para este dia, para cada dia, precisamos entender que nossa alma é curada, recebe novo vigor. Cada vez que tomamos posse da convicção que esse Pai de Amor, Pai celestial, é vivo, é pessoal e também é real na construção de nossa história de vida. Apenas considerando que Ele não constrói sozinho, precisa da sua participação de seu envolvimento. É por isso que Ele diz: “Filho meu da me seu coração”. Ele quer e espera a sua entrega.

Viva com entendimento. Relacione-se com o Pai.

Observe que não há possibilidade de monotonia na vida cristã quando vivemos no entendimento de Isaías.

O que há com certeza é conhecimento e convicção: O caminho é novo e vivo (conf. Hebreus) e tem NOME: Seu nome é Jesus. Isso não tem aspecto religioso, tem a ver com comunhão, conhecimento e intimidade.

Agora devemos nos perguntar: Tenho a profunda convicção e entendimento do que é ser irmão e irmã em Cristo? Nosso elo e grau de parentesco são firmados pelo Espírito do Senhor.

Quando começamos a ter esse entendimento, há uma outra percepção que nasce de uma construção espiritual, que renova a nossa mente e sara as nossas emoções dos equívocos emocionais. Nasce também a convicção de que temos um Pai em comum, uma morada em comum e que todos nós – irmãos e irmãs em Cristo – que por apreciarmos essa comunhão com o Pai, amamos os nossos irmãos e zelamos pela casa de Deus – A Igreja.

Por sermos filhos de Deus, consideramos que a nossa Pátria é onde a Casa do Pai está situada, onde a nossa morada está sendo preparada, dia a dia, pelo grande arquiteto, o nosso Deus, que nos está edificando esse lar. Essa convicção faz com que nos tornemos zelosos para que esse Reino se manifeste entre nós cheio de glória, de paz e de verdade.

Deixo meu abraço, quero que ele seja forte e que essa reflexão e convicção lhe traga o desejo de entrar mais intimamente na comunhão do Amor do Pai, é esse o movimento para você descobrir que o Amor dele, é profundo, alto intransponível ... mais alto que os céus.

O Pai ama você, meu irmão, e a você, minha irmã.

 

FONTE: GUIAME, DARCI LOURENÇÃO

 

topo