Translate this Page
Votação!
O que você acha do site?
Excelente
Regular
Ruim
Ver Resultados

Rating: 3.9/5 (378 votos)


ONLINE
2


Partilhe esta Página



Lições na tempestade – Marcos 4:35-41
Lições na tempestade – Marcos 4:35-41

(Foto: Canva)

 

Independente da circunstância que estamos vivendo, todos passam por momentos de tempestade. Veja o que Jesus ensinou a respeito.

 

INTRODUÇÃO

Após passar o dia inteiro ensinando a multidão que se aglomerava à beira do mar, Jesus, muito provavelmente cansado, ordena seus discípulos que entrem no barco para atravessarem para o outro lado da margem do mar da Galileia onde se encontravam. Lá ficava a região chamada de Gadara, onde Jesus iria libertar um homem que estava possesso de um espírito imundo.

No decorrer da travessia, enquanto Jesus dormia calmamente na popa do barco, eles são surpreendidos por uma grande tempestade, e vendo que não teriam condições de sair daquela situação, apavorados eles clamam a Jesus dizendo: “...Mestre, não te importas que morramos?"

Jesus então repreende o vento, manda o mar se aquietar e além de acalmar os discípulos, deixa algumas lições que valem pra todos nós, principalmente nos dias que estamos vivendo.

 

1 – AS TEMPESTADES SÃO INEVITÁVEIS

De forma geral, temos a tendência de acreditar que as todas as tempestades que passamos são resultado de nossa desobediência. Foi assim com Jonas por exemplo, ele desobedeceu e por isso se viu em uma grande tempestade. Sendo assim, quando passamos por um momento difícil, é muito comum buscar em nossa memória tentando achar algum erro ou pecado cometido no passado.

Mas aqui percebemos que isso não é uma regra. O Senhor Jesus ordenou aos discípulos: “...Vamos atravessar para o outro lado", e eles prontamente obedeceram. Eles tinham deixado tudo para seguir Jesus, passaram o dia inteiro o ouvindo e fazendo sua obra, mas tudo isso não os livrou da tempestade. 

Isso nos mostra que independente da circunstância que estamos vivendo, todos passam por momentos de tempestade. Elas são inevitáveis! Jesus mesmo disse que no mundo teríamos aflições (João 16:33).

Quando escreveu sua 1ª carta, o apóstolo Pedro não só incentivou aqueles que estavam passando por problemas a ficarem firmes, como também disse que os irmãos em todo mundo passavam pelo mesmo sofrimento (1 Pedro 5:9). Muitos personagens da bíblia também passaram por tribulações.

Jó perdeu tudo, mas não perdeu sua fé em Deus. Deus não livrou Daniel da fornalha, mas o salvou do fogo, não o livrou de passar pela cova dos leões, mas fechou a boca dos leões!  Paulo tinha um espinho na carne, foi preso, perseguido, apedrejado, apanhou injustamente, naufragou, mas isso não o parou (2 Coríntios 11:24-27).

Por isso, a síndrome do “coitadinho” não combina com quem é cristão. Temos que estar preparados para as tempestades que certamente, em algum momento ou outro, virão e não podemos deixar que elas nos parem.

 

2 – AS TEMPESTADES SÃO IMPREVISÍVEIS

Além de serem inevitáveis, as tempestades são também imprevisíveis. Pense comigo, o mar da Galileia era conhecido por suas tempestades fortes e repentinas, uma realidade até hoje. Comentando sobre isso, Warren Wiersbe compartilhou uma experiência:

“Enquanto cruzava esse mar numa tarde de verão, perguntei a um guia turístico israelita se ele já havia enfrentado alguma tempestade na região. - Com certeza! - respondeu ele balançando a cabeça. - E não quero passar por isso de novo!”

A sua geografia influencia muito nisso. É um grande lago de águas doce que além de ficar à 220 metros abaixo do nível do mar mediterrâneo, é cercado por 3 grandes montanhas. A mistura do ar quente que ficava em volta do mar com o ar frio que vem das montanhas acaba gerando uma espécie de efeito estufa que gera essas tempestades.

Boa parte dos discípulos era pescador, ou seja, estavam habituados a lidar com o mar e suas intempéries, ou seja, suas tempestades, vendavais e temporais. E talvez você esteja perguntando: Por que todas essas informações? E a resposta é a seguinte: Para mostrar que mesmo conhecendo a realidade do local e mesmo tendo experiência, eles foram pegos de surpresa.

O mesmo acontece conosco! Não importa o quanto conhecemos e o quanto temos de experiência, as tempestades da vida nos pegam de surpresa! Uma enfermidade, uma traição, uma crise familiar, uma crise financeira, um acidente ou até mesmo uma crise mundial, como essa que estamos vivendo... Elas chegam sem avisar e nos pegam surpresa!

 

3 – AS TEMPESTADES NÃO SÃO ADMINISTRÁVEIS

Apesar de nenhum dos evangelhos descrever, podemos imaginar que confiando em sua experiência em sua própria força, em 1º lugar os discípulos tentaram resolver o problema sozinhos, afinal, muitos ali eram pescadores experientes. Muito provavelmente eles já tinham passado por situações semelhantes. Mas essa tempestade era diferente. O evangelho de Mateus registra o seguinte:

“De repente, uma violenta tempestade abateu-se sobre o mar, de forma que as ondas inundavam o barco...” Mateus 8:24

Lucas também comenta:

“Abateu-se sobre o lago um forte vendaval, de modo que o barco estava sendo inundado, e eles corriam grande perigo”. Lucas 8:23

Era uma tempestade era tão forte, que eles acharam que iam morrer e disseram:

“...Mestre, não te importas que morramos" Marcos 4:38

Aquela tempestade era diferente de todas que eles tinham enfrentado antes, de forma que se não fosse a interferência de Jesus, eles teriam morrido ali. O grande acerto deles, foi enquanto ainda havia tempo, clamar o Senhor Jesus por ajuda.

Trazendo para os nossos dias, muitas vezes não agimos da mesma forma. Ao invés de prontamente buscarmos o Senhor Jesus, quantas vezes não confiamos em nosso próprio braço? Quantas vezes não confiamos em nossa própria capacidade? Quantas vezes não tentamos usar nossos próprios recursos? Ou quantas vezes não tentamos resolver do nosso jeito?

E a nossa postura tem que ser de completa dependência de Cristo, de forma que quando as ondas das tempestades da vida começarem a se formar, temos que clamar por sua ajuda o quanto antes!

 

4 – AS TEMPESTADES SÃO PEDAGÓGICAS

Novamente citando o pastor Warren Wiersbe, em seu comentário bíblico ele diz o seguinte:

“Jesus sabia que uma tempestade se aproximava? Com certeza, pois fazia parte da programação de "aulas" daquele dia. Essa experiência ajudaria os discípulos a entender uma lição que nem sabiam que precisavam aprender: é possível confiar em Jesus durante as tempestades da vida”.

Jesus passou aquele dia inteiro ensinando à multidão e aos discípulos as parábolas do Reino, mas ainda faltava uma aula prática particular.

E numa situação daquela, as perguntas de Jesus podem parecer absurdas; "...Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé"?

Jesus queria ensinar para eles que não tinham razões para temer, em 1º lugar porque Ele tinha falado que chegariam ao outro lado. Em 2º lugar, porque Ele estava com eles, e em 3º lugar, Ele estava tranquilo, e Ele estava tranquilo porque sabia que tudo aquilo fazia parte da agenda do Pai e em 4º lugar, por causa do poder d’Ele.

As tempestades que passamos em nossas vidas, todas elas, sem exceção, tem um caráter pedagógico. São para nos ensinar. Eu gosto muito de como a versão King James traduziu o texto de Hebreus 12:6 que diz:

“...pois o Senhor disciplina a quem ama, e educa todo aquele a quem recebe como filho”

As vezes nos lembramos apenas da parte da correção, da disciplina, e é verdade, o Senhor disciplina e corrige aqueles que ama, mas Ele também educa, Ele também ensina. E muitas vezes usa as situações que passamos em nosso dia a dia para isso.

O apóstolo Paulo escrevendo aos Romanos fez questão de lembrar que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus (Romanos 8:28)! E todas, são todas literalmente! Escrevendo aos Tessalonicenses ele disse que em tudo, devemos dar graças (1 Tessalonicenses 5:18). Essa deve ser nossa postura.

 

CONCLUSÃO

Para finalizar, imagino que o mais difícil para os discípulos não tenha sido a tempestade, mas o sono de Jesus enquanto ela acontecia. O ato de dormir calmamente em seu travesseiro enquanto um verdadeiro vendaval assolava o barco, levou-os a pensar que Ele estava indiferente quanto ao perigo que passavam.

E nós? Não temos também, muitas vezes, a mesma sensação? Não nos perguntamos o que aconteceu? Não nos perguntamos se Deus não está dormindo? E o Salmos 121 nos responde isso. Ele é nosso protetor que não dorme e estará sempre alerta para nos guardar.

 

FONTE: GUIAME, RICARDO SOARES

topo