Translate this Page
Votação!
O que você acha do site?
Excelente
Regular
Ruim
Ver Resultados

Rating: 4.4/5 (272 votos)


ONLINE
1


Partilhe esta Página



4 motivos para confiar na Bíblia
4 motivos para confiar na Bíblia

 

Como você pode confiar na Bíblia?” É o que os céticos costumam perguntar. Escritores “novos ateus” como Richard Dawkins regularmente atacam a Bíblia. Neste estudo bíblico, portanto, você conhecerá 4 Motivos bem fundamentados para confiar na Bíblia como a palavra de Deus!

Como os cristãos podem mostrar que é racional e razoável confiar na Bíblia e levar a sério o que ela diz?

“Os leigos geralmente não sabem que o trabalho acadêmico escrupuloso realizado pela crítica bíblica moderna … representado pelo trabalho acadêmico escrupuloso de cerca de 300 anos, está entre as maiores realizações intelectuais da raça humana… A Bíblia é, de longe, o livro mais estudado da literatura mundial.”

Hans Kung

Diante de tantas perguntas e ataques acho que a maioria já fizeram essa pergunta antes:

“Posso confiar na Bíblia? Ela é realmente verdadeira?”

E por que responder a essas perguntas é tão importante?

É importante porque se a Bíblia não for verdadeira, então o cristianismo não tem sentido algum!

Mas se for verdadeira, temos bons motivos para ler a Bíblia, entendê-la e torná-la parte de nossas vidas, e assim saber de onde viemos, qual é o sentido da vida, e para onde vamos quando morrermos!

Isso afetará toda a nossa vida, …certo? Sim!

Vou explicar por que acredito que a Bíblia é 100% de Deus, por que ela ainda é relevante hoje e por quais motivos você ainda pode confiar nela.

Portanto, ao longo do texto vamos falar sobre assuntos como o testemunho das profecias cumpridas, de escritores não bíblicos e de provas arqueológicas.

1) Podemos confiar na Bíblia por causa das profecias cumpridas.

Sabe, não há outro livro por aí, um livro religioso, com muitas profecias que se tornaram realidade.

Digo, apenas no Antigo Testamento há cerca de 300 profecias somente sobre Jesus.

Em Isaías 42:9, Deus diz:

“Vejam! As profecias antigas aconteceram, e novas eu anuncio; antes de surgirem, eu as declaro a vocês.”

Então vemos claramente que Deus nos mostra um pouco das profecias, é como se ele nos dissesse: “ei, Eu sei o que o futuro reserva… Eu não sou limitado pelo tempo”.

Deus nos revela para que estejamos preparados.

Eu não vou entrar em todas as profecias porque seria necessário escrever um livro só com esse tema, mas preciso mencionar algumas para você.

Então, vamos começar com a primeira:

A profecia bíblica de Ezequiel 26:7-9.

Foi escrita entre 587 a 586 a.C. e foi cumprida em 573 a.C.

O profeta Ezequiel disse que o Reino Babilônico de Nabucodonosor destruiria os territórios continentais de Tiro.

Quatro anos depois, os babilônios começaram um cerco de treze anos a Tiro e terminou em 573 a.C.

Alexandre, o Grande, destruiu a parte insular de Tiro em 332 a.C. E na época, Ezequiel também profetizou que o material de construção seria jogado no mar e eles pensaram que ele estava louco.

Portanto, Nabucodonosor cumpriu apenas metade das profecias quando ele destruiu a cidade.

Mas a profecia inteira se cumpriu quando muito mais tarde Alexandre, o Grande, jogou o material de construção no mar, como profetizado!

Profecia em Isaías 45.

Outra profecia em Isaías 45, escrita por volta de 781 a 701 a.C., disse que os portões da Babilônia seriam abertos a Ciro.

A profecia foi cumprida centenas de anos depois, por volta de 539 a.C.

Agora, se você olhar para Isaías 45, verá que o profeta disse que Babilônia abrirá seus portões para Ciro e seu exército atacante.

Os muros da Babilônia tinham 21 metros de espessura, 91 metros de altura, com 250 torres de vigia. Uma defesa incrível!

Então Ciro pôde, é claro, entrar na cidade porque os portões estavam abertos para ele.

Profecias a respeito de Jesus.

Agora, também falei que existem mais de 300 profecias somente sobre Jesus. Então vou mencionar algumas delas. Algumas, somente nas 24 horas de sua crucificação.

Em Zacarias 13:7, é profetizado que Jesus seria abandonado por Seus discípulos e você vê que isso aconteceu em João 16:32 e Marcos 14:49,50.

Depois em Salmo 35:11 profetizou que Ele seria falsamente acusado, que podemos ver claramente em Mateus 26:59-61.

No Salmo 34:20 é profetizado “ainda assim seus ossos não seriam quebrados”, e em João 19:33-36, lemos.

E então no Salmo 22:18 é profetizado que eles lançariam sorte por suas roupas e lemos isso em João 19:23-24.

Mais adiante, em Isaías 50:6, vemos que Ele seria brutalmente espancado e você pode ver isso em Mateus 26:67 também.

E ainda em Isaías, no capítulo 53 e versículo 7, diz que Ele não retaliaria, e você pode ler isso em Mateus 27:13,14.

No mesmo profeta, capítulo 53 e versículo 12, diz que Ele seria executado com criminosos, e vemos que ele foi executado com criminosos em Mateus 27:38, também em Lucas 23:32.

Podemos ler ainda mais no Salmo 22:16 e Zacarias 12:10, quando é profetizado que Suas mãos e pés seriam perfurados.

Isso é interessante porque esse foi um tempo antes que a crucificação existisse!

Podemos ler que isso aconteceu centenas de anos depois.

Profecias sobre o nascimento do Messias.

Há também outras profecias. Por exemplo, o nascimento dEle, onde Sua mãe seria virgem,
que lemos em Isaías 7:14.

O local exato de seu nascimento, em Miquéias 5:2, e a jornada para Jerusalém em Zacarias 9:9.

Todas elas se tornaram realidade, apesar de terem sido escritas séculos antes de acontecer.
E há muito mais que eu nem mencionei!

Agora, todas elas são como placas apontando para a autoridade da Bíblia como a Palavra de Deus.

Leia mais detalhadamente profecias como essas no estudo “As 10 principais profecias sobre Jesus compridas no Novo Testamento“, no site Palavra Aplicada.

Foi profetizado ainda que Jerusalém seria pisada pelas nações.

Essa é outra profecia cujo cumprimento aconteceu fidedignamente. O próprio Jesus prevê o cerco de Jerusalém em Lucas 21:20, o que aconteceu mais tarde, cerca do ano 70 d.C.

Ele também previu em Mateus 24:1,2 que o templo seria destruído, o que também aconteceu em cerca de 70 d.C.

Jesus também previu em Lucas 21:24 que Jerusalém seria pisada pelas nações até próximo de sua segunda vinda ou o fim do mundo.

Isso se tornou realidade, é claro, porque os judeus nunca possuíram Jerusalém novamente até 1948.

Isso significa que você e eu estamos vivendo no fim dos tempos!

Agora eu acho que você entendeu, que todas essas profecias apontam para a verdade da Bíblia, para que você possa confiar nela!

2) Os Manuscritos demonstram podemos confiar na Bíblia.

Vamos falar sobre os manuscritos, que comprovam que podemos confiar na Bíblia, pois existem muitas cópias encontradas e juntas elas provam a precisão e a verdade da Bíblia.

Temos o Texto Massorético do século 7, os Manuscritos do Mar Morto encontrados em
1947, datado entre 130 a.C. e 68 d.C. Além destes, a Septuaginta, que é a tradução grega e existia 800 anos antes do texto Massorético.

Depois, temos a Peshitta, cuja compilação é de cerca de 464 d.C.

A tradução Copta, a Vulgata de cerca de 382 d.C. e o Textus Receptus, compilado no século XVI.

É muito importante que você saiba que toda a Bíblia, que são todos os livrinhos reunidos,
foram reunidos por volta de 70 d.C., pelo Concílio de Jamnia.

Entretanto, muitas pessoas dizem que a Bíblia foi criada apenas após 300 ou 400 da Era Comum, mas isso é uma mentira!

Como mencionei, é importante notar que o cânon foi formado pelo Conselho de Jamnia por volta de 70 d.C., mas todos os livros da Bíblia já existiam antes disso.

Como nós sabemos que os livros da Bíblia são confiáveis?

Os livros da Bíblia, os Evangelhos e os outros livros, viajavam entre as congregações dos crentes. E isso significa que o Novo Testamento foi fechado durante a vida dos apóstolos.

Os Evangelhos, por exemplo, que são Mateus, Marcos, Lucas e João, já circulavam logo após a ressurreição de Jesus.

E os outros livros seguiram logo após isso, como “Tiago“, por volta do ano 48, e Atos, por volta do ano 62, e assim por diante.

Vou rapidamente dar alguns fatos sobre os manuscritos que provarão que a Bíblia está correta e que você pode confiar nela.

Os pergaminhos do Mar Morto.

Por exemplo, os pergaminhos do Mar Morto foram descobertos em 1947 e provaram a exatidão do texto Massorético, em que todos os livros do Antigo Testamento estavam lá e corretos.

O único livro que não foi encontrado é o livro de Ester. Isso não quer dizer, porém, que o livro não esteja correto. Significa apenas que não foi encontrado entre os Manuscritos do Mar Morto.

Os Manuscritos do Mar Morto tinham entre 130 anos antes de Jesus a cerca de 68 depois dele.

Dentre eles, todo o livro de Isaías, por exemplo, foi datado ainda mais antigo, cerca de 175 antes de Jesus.

Então sabemos que todo o Antigo Testamento já existia no tempo de Jesus.

Por exemplo, em Lucas 24, versículo 44, Jesus fala com Seus discípulos e menciona os escritos de Moisés, os profetas e os Salmos.

O historiador Josefo, que viveu entre 37 e 100 d.C., também escreveu que todo o Antigo Testamento já existia e é Santo.

Os textos do Novo Testamento também provam que podemos confiar na Bíblia.

Existem cerca de 5488 textos gregos antigos do Novo Testamento e 50 deles são completos. Além disso, há muitos livros completos da Bíblia.

O livro do Apocalipse, por exemplo, tem o menor número de cópias completas. E adivinha quantos são? Não são 5, 10, 20 nem 30, nem 40 ou 50. Mas são 300 cópias! E Isso é muito!

Além disso, ainda há muitas outras traduções da Bíblia encontradas além dos textos gregos, como o sírio, egípcio, árabe, armênio, gótico, etíope e muitos outros.

A Vulgata, por exemplo, é a tradução latina do ano 382 de nossa era, e existem 10.000 cópias disponíveis.

Isso é muita informação!

Também é importante saber que os pais da igreja primitiva citaram muitas Escrituras. Eles citaram tanto da Bíblia durante toda a vida deles que podemos encontrar 2.000 cópias desses textos antigos e todos comprovam a precisão da Bíblia.

Caso você deseje estudar todos esses textos antigos você pode chegar perto de cem por cento da Bíblia real.

Depois, há também o papiro de Chester Beatty, do terceiro século depois de Jesus, que contém o Antigo Testamento e a maior parte do Novo Testamento.

Existem ainda mais de 20.000 fontes das quais podemos juntar a Bíblia na sua forma original.

E isso agora é importante: Em nenhum lugar uma doutrina fundamental depende de uma passagem que é incerta.

Portanto, é importante saber que todas as principais doutrinas fundamentais da Bíblia são totalmente livres de qualquer problema textual!

3 ) A Arqueologia prova que podemos confiar na Bíblia!

As provas arqueológicas mostram que a Bíblia é verdadeira e que você pode confiar nela.

Existem muitos exemplos de provas arqueológicas que mostram que a Bíblia é verdadeira.

Mas não vou falar sobre todas elas porque seriam demais. Então vou mencionar apenas algumas.

Por isso, vamos começar com o primeiro:

A pedra de Pilatos.

Muitas pessoas dizem que Pôncio Pilatos, o cara que deu a decisão sobre a crucificação de Jesus, basicamente nunca existiu.

Mas então eles descobriram a pedra de Pilatos em 1961.

É um bloco de pedra danificado que menciona Pôncio Pilatos, prefeito da província romana da Judéia, de 26 a 36 d.C.

Agora, isso não é impressionante?

Rei Belsazar.

As inscrições dos reis da Síria, Assíria, Egito e Babilônia confirmam os escritos do Antigo Testamento.

Um dos reis mencionado no livro de Daniel é o rei Belsazar (5:1). Mas os céticos disseram:

“Bem, não existiu tal rei e só há provas de que existiu um rei que se chamava Nabonido naquela época.”

Todavia, em 1854 foi encontrado um pequeno cilindro que o próprio rei Nabonido tinha escrito.

E ele disse:

“Quanto a mim, Nabonido, rei da Babilônia, guarda-me de pecar contra sua grande divindade e conceda-me, como presente, uma vida longa. E quanto a Belsazar, o filho mais velho da minha descendência, estimule reverência em seu coração por sua grande divindade e que ele não cometa nenhum erro de legalismo. Que ele seja saciado com uma vida de plenitude. “

Então eles descobriram que Nabonido era, na verdade, o pai de Belsazar.

E Belsazar governara como rei, quando seu pai, Nabonido, estava fora com seu exército.
E é por isso que ele era rei na época.

As inscrições de Davi.

Algumas pessoas dizem:

“O Davi da Bíblia nunca existiu; é apenas uma bela história.”

Mas então, como sempre, em 1993, foi descoberta uma pedra interessante que dizia: “Um rei de Israel da casa de Davi.”

Estela de Tel Dã é uma estela negra de basalto descoberta em um sítio arqueológico durante escavações ao norte de Israel em Tel Dã. Ela encontra-se atualmente aos poderes do Museu de Israel, em Jerusalém.

E sabemos que a Bíblia fala assim porque lemos em 1 Reis 12:19: “Assim, Israel se mantém rebelado contra a casa de Davi, até ao dia de hoje.”

Então, novamente, as provas arqueológicas constataram que a Bíblia é confiável!

Até as tabuletas hititas comprovaram que podemos confiar na Bíblia.

Os hititas nunca existiram! Alegam os céticos.

Mas em 1906, foram encontradas 10.000 tabuletas de argila na Turquia. E essas tabuletas documentam a história dos hititas.

Porém, o mais interessante é que, onde eles descobriram essas tabuletas, perceberam que, na verdade, era capital de toda a nação hitita e se chama Boğazköy.

Então isso prova a precisão da Bíblia em Josué 11:3, onde menciona a nação hitita, milhares de anos antes de nós a descobrirmos.

Portanto, será que “podemos realmente confiar na Bíblia?”

A Bíblia não é apenas um livro comum. É o livro historicamente mais preciso no mundo inteiro.

E há muito mais descobertas arqueológicas que posso compartilhar com você, mas acho que é o suficiente por enquanto.

Eu acho que você entendeu … Que podemos confiar na Bíblia como a Palavra de Deus!

4) Escritores não-bíblicos confirmam que podemos confiar na Bíblia.

Já falamos sobre as profecias, os manuscritos e as provas arqueológicas, acho que com essas informações já podemos dizer que a Bíblia é confiável.

Mas para não restar dúvidas, vamos olhar para as provas de escritores não-bíblicos.

Talvez alguém possa dizer:

“Sabe, você não pode confiar realmente na Bíblia ou qualquer história dela, porque simplesmente não há verdade suficiente fora da Bíblia… É apenas algo que a igreja inventou para controlar as pessoas”.

Mas isso é verdade? Não!

Se olharmos para os fatos, definitivamente não é verdade.

Existem muitos escritores não-bíblicos que, na verdade, provam para nós que você pode confiar na Bíblia porque ela é real.

Portanto, também vamos dar uma olhada nisso!

Antes de tudo, porém, você precisa saber que existe uma enorme quantidade de evidência externa que prova que a Bíblia é real.

Como a escavação de Jericó, que mostrou que as muralhas realmente caíram. Exatamente como descrito no livro de Josué.

A arqueologia definitivamente confirma as Escrituras, como já expliquei anteriormente, mas também há muitas evidências de escritores não-bíblicos que confirmam os eventos que aconteceram na Bíblia.

Muitos deles se concentram em Jesus.

Existem relatos não bíblicos de Jesus, de escritores da época, como Josefo, o Talmude Babilônico, Plínio, o Jovem, Mara bar-Serapion, Tácito e outros que escreveram sobre Jesus e os cristãos.

Tácito

Vamos dar uma olhada em Tácito primeiro:

Quem foi Tácito?

Seu nome verdadeiro era Publius Cornelius Tacitus.

Ele foi um senador e historiador do Império Romano no primeiro século d.C. Basicamente examinou e registrou sobre os reinados entre 14 d.C. e 70 d.C.

E quando escreveu sobre o imperador Nero. Primeiro mencionou a seita cristã e depois disse o seguinte sobre Jesus:

“(…) Christus, o fundador do nome, foi sentenciado e morto por Pôncio Pilatos, procurador da Judéia durante o reinado de Tibério”.

Ele pode ser visto como o inimigo de Jesus. Naquele tempo, então ele não tinha motivos para mentir.

Por isso, podemos ver claramente que ele confirma a existência de Jesus, seus seguidores, e que Ele foi morto por Pilatos.

O Talmude Babilônico, um dos principais registros que comprovam que podemos confiar na Bíblia.

Se você nunca ouviu falar disso antes, é basicamente uma coleção de escritos judaicos que cobrem a história dos judeus depois do tempo da Bíblia.

O Talmude foi redigido pelos mestres tanaítas entre o século I e o século III d.C., mais ou menos entre os anos 50 e 160 depois de Jesus.

O Talmude diz:

“Ele (Jesus) vai ser apedrejado por causa de Sua feitiçaria.”

Isso é interessante, porque não apenas prova que Jesus existiu, mas também que Ele tinha poderes sobrenaturais.

É claro que eles não queriam admitir que vinha de Deus, então eles disseram que vinha da feitiçaria ou do mal.

Josefo, o historiador mais importante do 1º século, comprova confiança total na Bíblia Sagrada.

Quem era Josefo? Originalmente chamado pelo nome hebraico Yosef ben Matitiyahu. Seu nome romano foi Flavius ​​Josephus. Ele nasceu em Jerusalém e era um estudioso historiador judeu com cidadania romana. Também viveu no século 1 d.C.

dentre seus muito importantes registros históricos, vamos destacar este:

“Nesta época, havia um homem sábio que se chamava Jesus (Yeshua). E sua conduta foi boa, e Ele foi conhecido por ser virtuoso.
E muitas pessoas dentre os judeus e outras nações se tornaram seus discípulos.
Pilatos o condenou a ser crucificado e morrer.”

Agora ouça o que ele diz a seguir:

“E aqueles que se tornaram Seus discípulos não abandonaram Seu discipulado. Relataram que Ele lhes apareceu após Sua crucificação e que Ele estava vivo. Logo, talvez Ele fosse o Messias a respeito de quem os profetas relataram maravilhas.”

Isso é incrível, não é?!

Vem de um escritor judeu, um não-cristão. Em traduções para o árabe ele não tinha motivos para mentir, pois não tinha motivos para confirmar algum ensinamento cristão.

Dentre suas principais obras, destaca-se a famosa História dos Hebreus.

Vejamos o próximo!

Mara bar Serapion.

Então… ele escreveu uma carta para o filho, também chamado Serapion, e ele escreveu sobre o tratamento injusto de três homens sábios.

O assassinato de Sócrates, o incêndio de Pitágoras e a execução do “Rei Sábio” dos judeus o qual é Jesus.

Plínio, o Jovem.

Plínio, o Jovem, era o governador romano da Bitínia e de Ponto.

E ele escreveu uma carta ao imperador Trajano por volta de 112 d.C. perguntando como ele deveria lidar com os cristãos.

E em sua carta ele também escreve como os cristãos “cantam responsavelmente hinos a Jesus como a um Deus”.

Isso nos mostra claramente que os primeiros cristãos claramente consideravam Jesus como Deus.

Também existem outras fontes externas que você pode ler como Lucian e Suetônio, Mas os escritores não-bíblicos que escreveram sobre os eventos da Bíblia, confirmam claramente o seguinte:

  1. Jesus era um homem de boa índole e virtuoso.
  2. Ele era considerado como sendo o Messias e um Deus.
  3. Seus discípulos afirmam que Ele havia ressuscitado do túmulo.
  4. Ele era um homem com poderes sobrenaturais.
  5. Ele foi um professor que acumulou muitos seguidores.

Esses são os fatos!

A Bíblia não só é confiável, mas é mais confiável do que quaisquer outros escritos comparáveis.

Não há nenhum outro livro da antiguidade com autenticidade tão bem comprovada como a Bíblia. A quantidade de evidência é avassaladora.

Temos várias fontes fora da Bíblia que nos mostram claramente que Jesus não é algum tipo de mito ou alguém que é apenas criado pela igreja para controlar as pessoas.

Os eventos acerca de Jesus são verdadeiros!

Ele morreu na cruz a cerca de 2000 anos, por seus pecados e pelos meus.

Ele ressuscitou dos mortos, do túmulo, e Ele vai voltar! Você está pronto?

 

Referências:

Frederic G. Kenyon, Our Bible and the Ancient Manuscripts.

F.F Bruce, Merece Confiança o Novo Testamento?

ALBRIGHT, William F. Archaeology and the Religions of Israel.

Como Saber Se a Bíblia é Verdade? John Ankerberg

A Bíblia E A Arqueologia, por Matthieu Richelle

História do cristianismo: Uma obra completa e atual sobre a trajetória da igreja cristã desde as origens até o século XXI, por Bruce Shelley

Podemos Confiar Na Bíblia? por Antonio G. Sobreria

 

Bíblia se Ensina

Escrito por Gustavo Oliver Almeida - Site Palavra Aplicada

 

topo